Biodigestor vai transformar lixo em receita e eficiência energética

A Ceasa Goiás produz, em média, 25 toneladas de lixo por dia. O Governo de Goiás quer melhorar o descarte deste material e autorizou a construção de usina biodigestor. O equipamento, por meio da ausência do oxigênio, fará a decomposição da matéria orgânica em um processo chamado de biodigestão e vai possibilitar o reaproveitamento do resíduo orgânico, a produção de fertilizantes e a captação do biogás.

Em vias de instalação, o Projeto de Lei para suplementação orçamentária na ordem de R$ 4 milhões já foi autorizada e com o sistema a Ceasa vai adotar uma forma mais moderna e sustentável de dar destinação ao lixo produzido. 

“Esse projeto propõe algo inédito. Nunca a Ceasa Goiás recebeu um repasse do Tesouro do Estado”, explica o governado Ronaldo Caiado. Essa é a primeira vez que o Governo Estadual faz um investimento tão importante para o desenvolvimento do sistema de abastecimento alimentar do estado. Caiado assinou autorização para aporte financeiro durante a I Festa do Pequi da Ceasa Goiás, em novembro de 2021.

Com instalação do biodigestor os resíduos orgânicos gerados vão ser reaproveitados como gases energéticos. Esse investimento estadual mira eficiência energética e vai diminuir, por exemplo, despesas no transporte e descarte do lixo produzido no entreposto.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.