Cora: um vizinho a ser considerado com respeito

Juntamente com autoridades do Estado, entre elas o próprio governador Ronaldo Caiado, o secretário de Saúde,  Sérgio Vencio, e do presidente da Goinfra, Lucas Vissotto, presidente da Centrais de Abastecimento e Goiás (Ceasa/GO), Manoel de Castro, participou do evento “Eu Apoio o Cora”, que aconteceu na quarta-feira, quando foram , após o discurso de autoridades, procedida a vistoria técnicas da obras, que se encontram na fase de fundação da estrutura. Para a Ceasa/GO, o que difere esse hospital dos demais órgãos do estado é o fato de o Complexo Oncológico de Referência do Estado de Goiás (Cora) estar localizado praticamente ao lado do entreposto. Com isso cria-se um elo maior com uma unidade influenciando a outra. Como forma de prestigiar o evento governamental e dar boas vindas a unidade referência todo o quadro de servidores participou do evento, que contou, ainda, com as presenças dos cantores Gustavo Lima e Mayara e Maraísa.

A unidade será o primeiro hospital público de Goiás exclusivamente dedicado ao tratamento contra o câncer. O secretário Sérgio Vencio, lembrou que a atual gestão sempre buscou resolver o problema da limitação de assistência para pacientes com câncer no Estado. O projeto do Cora foi inspirado no Hospital do Amor – Hospital do Câncer de Barretos, em São Paulo. Vai contar com 148 leitos de internação, centro cirúrgico, farmácia e centro de exames, além de uma proposta inédita de alojamento para as famílias de pacientes. O serviço segue a todo vapor, com mais de 40% de execução e previsão de entrega da ala pediátrica para 2024. Quando estiver em funcionamento, lembrou Sérgio Vencio, o Cora vai realizar cerca de 7,2 mil cirurgias oncológicas por ano, quase o dobro do que é realizado pelo SUS no Estado, que são 4,5 mil cirurgias. 

Segundo dados do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional do Câncer, o número estimado de casos novos de câncer no Brasil, para cada ano do triênio de 2023 a 2025, é de 341.350 casos de câncer em homens, com 120.784 óbitos; e de 362.730 casos de câncer em mulheres, com 110.910 óbitos. Totalizando, uma estimativa de 704.080 casos e 231.694 óbitos por ano. 

O câncer é a principal causa de óbito em crianças e adolescentes no mundo. No Brasil, no ano de 2020, ocorreram 2.289 mortes por câncer infantojuvenil (38,20 por milhão). Para o sexo masculino, foram 1.295 óbitos, com um risco estimado de 42,30 por milhão. No sexo feminino, ocorreram 994 óbitos, um risco de 33,90 por milhão.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.