Nota de esclarecimento

Em respeito ao cidadão goiano e em atenção a questionamentos feitos em um vídeo publicado em redes sociais, as Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa-GO),  traz as seguintes informações:

  1. O valor pago pelos permissionários e concessionários que atuam no entreposto é composto por tarifa de concessão de uso (aluguel) e rateio para recuperação das despesas com custos dos serviços de vigilância, limpeza, conservação e manutenção; energia elétrica, água, esgotamento sanitário, remoção e descarte de resíduos sólidos no aterro sanitário, entre outros. A redução no valor do rateio implica na redução dos serviços prestados;

  2. Referente à Pedra, (Módulo no Galpão do Produtor), tamanho correto do espaço é de 2x2 m; A atualização do valor é feita anualmente, em janeiro, com base no IGPM-FGV. Ainda, o valor de R$750,00 é referente a taxa paga pelos pequenos comerciantes e é proporcional ao cobrado dos permissionários e concessionários, buscando tratamento isonômico aos usuários;

  3. Os produtores rurais que atuam no Galpão do Produtor (Pedra 1), como forma de incentivo oferecido pelo Estado, pagam um valor reduzido que atualmente é de R$ 242,00; O Governo de Goiás também mantém outros programas de apoio a todos os produtores ofertando, por exemplo, linhas de créditos com zero de juros ou taxas bem abaixo das praticadas pelas instituições bancárias.

    A Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) e suas jurisdicionadas estão atuando intensamente durante esse período de pandemia para que os produtores rurais tenham condições de continuarem plantando e, sobretudo, para que a Ceasa-GO continue aberta e funcionando para levar alimento para o estado de Goiás e centro-norte do país.

  4. Além disso, o Governo Estadual realizou um enorme conjunto de ações de enfrentamento à pandemia, seguindo as orientações da autoridades de saúde e OMS, com o objetivo de manter o entreposto seguro para trabalhadores e clientes. Entre as maiores Centrais do país, a Ceasa-GO foi a que implementou o maior número de ações;

  5. Ainda, sobre o funcionamento das feiras livres, vale lembrar que a SEAPA criou um modelo de Feira Segura, que foi destaque em todo o país e em publicação internacional. Isso permitiu o retorno desta atividade. E, embora, algum setores econômicos ainda estejam paralisados, quando comparamos a oferta de produtos no primeiro semestre de 2019 e 2020, a média de redução registrada é de 15%;

  6. Sobre a construção da creche, a obra foi realizada com recursos da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) e do Governo Federal. Depois de pronta, ainda passou por adequações custeadas pela Ceasa-GO, sugeridas pela Secretaria Municipal de Educação que é quem fará a gestão da unidade, pois cabe aos municípios cuidar da educação infantil;

  7. Sobre Banco de Alimentos, a gestão do projeto é feita pela OVG, e o programa atendeu até o último mês de maio 215 famílias e 213 entidades que ampliam ainda mais o número de pessoas atendidas. Em 11 meses foram coletados mais de 1 milhão de toneladas de alimentos doados principalmente pelos produtores rurais.