O doce sabor nutritivo da rapadura

Feita a partir da cana-de-açúcar, a rapadura é consumida em mais de 30 países do mundo. A Índia é o maior produtor e o Brasil ocupa da 7º posição mundial na produção dos tabletes adocicados.

“Rapadura é doce, mas não é mole não”, já dizia um ditado que representa a popularidade deste alimento no Brasil. A rapadura tem origem no continente europeu e surgiu no século XVI. Foi uma solução criada para substituir o açúcar nas longas viagens, já que o adoçante granulado era mais perecível, pois umedecia e melava facilmente. A rapadura, por ser em barras, era mais durável e mais prático de transportar nas sacolas dos viajantes.

No mundo, cerca de 30 países produzem a rapadura. O maior produtor mundial é a Índia, responsável por 67% dos tabletes adocicados consumidos no planeta. Na América Latina, a Colômbia está em primeiro lugar com 1 milhão de toneladas produzidas por ano. O Brasil fica na sétima posição, sendo o nordeste a nossa maior região produtora.

O nome rapadura é uma variação de raspadura, que na verdade, eram as camadas espessas de açúcar que ficam presas nas laterais dos tachos durante a fabricação. Em outros países da América Latina, a rapadura é conhecida por outros nomes:

 

Colômbia panela e papelón
Venezuela panela e papelón
México panela e pilocillo
Equador panela
Guatemala panela
Peru chancana
Chile chancana
Bolívia chancana e empanizao
Costa Rica tapa de dulce
 

A fabricação da rapadura é basicamente artesanal, com instrumentos simples e, normalmente, feito por familiares, cooperativas ou comunidades rurais. A matéria-prima é basicamente a cana-de-açúcar, que deve ser cortada sem a queima. Depois disso é levada para um engenho onde é moída e passa por uma decantação para retirada das impurezas, é colocada em um processo de fervura, até que se vire um melado. Em seguida, vai para a etapa de batimento. Após a sova, a rapadura está pronta para ser coloca em formas e depois de fria é embalada e já pode ser consumida.

Apesar da alta concentração calórica, a rapadura tem mais benefícios que o açúcar branco. Sua produção artesanal lhe confere mais nutrientes, sendo rica em minerais como potássio, cálcio, magnésio, ferro entre outros e vitaminas A, B1, B12, E e mais algumas. Há estados do nordeste ela faz parte da merenda escolar de muitas crianças.

Normalmente ela é encontrada em barras de 500 gramas ou 1 quilo, mas também é possível encontrar tabletes de 25 ou 50 gramas. O sabor agradável e a popularidade no país inspirou a elaboração de sabores e outras sobremesas a base do doce. Hoje é possível encontrar rapadura de amendoim, nozes, avelã, leite e até chocolate. Também há pudins e bolos de rapaduras que aparentam ser muito saborosos.

Na Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa-GO), é possível encontrar rapaduras derivados. Em 2019, a venda desse doce ultrapassou 175 mil quilos, com uma movimentação financeira de 897 mil de reais. O valor de cada peça com 1,5 quilos varia entre 5 e 10 reais. Fácil de encontrar e com preço acessível, quem deseja incrementar a dieta com novos sabores e alimento saudável, pode incluir a rapadura como uma boa opção.